• Coopermais

Silagem de milho: o que não pode faltar para produção de uma silagem de boa qualidade

Uma boa silagem é o resultado de um conjunto de etapas complementares e envolve custos, riscos e planejamento. Portanto, é fundamental fazer todos os procedimentos corretamente e com qualidade.


Acertar o ponto da colheita é essencial, e para isso, devemos levar em consideração a matéria seca (MS) das plantas, que deve estar entre 34 e 37%, permitindo boa compactação, e fermentação adequada.


Realizar a colheita fora do ponto ideal aumenta a perda de nutrientes e exige maiores quantidades de concentrado na dieta dos animais. Além disso, quando feita antecipadamente, gera menor rendimento da massa ensilada, maior produção de chorume, menor teor de energia e fermentação inadequada. Já quando o corte é tardio, aumentam as perdas durante a colheita, há maior dificuldade para cortar e compactar a silagem e torna-se necessário afiar as facas com maior frequência.


Quanto ao corte, o tamanho de partícula ideal está entre 0,8 e 2 cm e também é um ponto fundamental para a qualidade final da silagem já que, partículas muito pequenas passam rápido pelo trato digestório e reduzem atividade do rúmen enquanto partículas grandes dificultam a compactação e retirada do ar do silo e aumentam as sobras no cocho porque os animais naturalmente escolhem o alimento.


A compactação deve ser feita em camadas de 30 a 50 cm de silagem por vez, com trator de pneus estreitos e neste momento, deve-se evitar contaminação com terra da massa ensilada.


O fechamento do silo deve ser realizado imediatamente após seu término, com lona grossa que permita a máxima vedação. Sobre a lona indica-se colocar terra, sacos de areia, pneus ou telhas, de forma a retirar todo ar possível.


Também é importante fazer drenos próximos ao silo, para evitar acúmulo e entrada de água no seu interior e isolamento da área, de modo a não permitir a entrada de animais que possam danificar a lona.


O silo deverá permanecer fechado por no mínimo 30 dias. Após sua abertura, deve-se retirar uma fatia diária de 20 cm de toda área frontal. As partes mofadas devem ser descartadas e nunca fornecida aos animais!


O dimensionamento adequado do silo deve ser feito com base na demanda de alimentação diária do rebanho. O silo pode ser tipo trincheira ou de superfície. Ambos possuem vantagens e desvantagens, o silo trincheira permite melhor compactação e melhor aproveitamento da silagem, porém, tem maiores custos de construção e manutenção ao passo que, o silo de superfície embora exija menos investimentos e possa ser facilmente translocado, ocasiona maiores perdas e não permite boa compactação da silagem.